Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ao que venho

análise de João Gomes de Almeida, em 14.05.13

É bom estar de volta quatro anos depois, perceber que ainda existem campanhas políticas e que a democracia ainda mexe, ainda que cada vez mais diminuída aos olhos da população. Mas qual população? O povo! Povo que de quatro em quatro anos vê os seus concelhos e freguesias invadidos por outdoors, flyers, mupis, canetas e carros de som dos mais variados partidos e muitas vezes excêntricos movimentos de cidadãos independentes. 

O Imagens de Campanha aparece no meio desta confusão, com o objectivo de mostrar, entreter e escrutinar a propaganda que se publicita nestes dias. Lançando um olhar atento sobre o que de melhor se vai fazendo por aí e também sobre o que de pior nos é dado a conhecer.

Bem... Os meu colegas de blog são dois reputados especialistas de comunicação, que provavelmente e naturalmente vão incidir sua análise na estratégia e na mensagem das candidaturas. Eu, como publicitário, vou ter que ceder ao defeito de profissão e centrar-me mais na chamada dramatização da mensagem, ou se preferirmos na imagem em si própria. Tendo sempre duas abordagens de cada peça: o grafismo (a chamada direcção de arte) e o texto (o dito copy). 

Eleitores, tenho pois que vos dar um conselho honesto: um candidato que aprova uma imagem de campanha foleira ou com pouco cuidado estético é por norma um tipo com mau gosto, que se tornará um autarca com mau gosto e que acabará por poluir visualmente as vossas cidades com mamarrachos arquitectónicos, parolices ditas culturais e iniciativas duvidosas, sem interesse e que ficam a dever muito à criatividade.

 

Senhores candidatos, agora falo para vocês. Se não querem passar esta ideia lanço-vos dois desafios:

 

1) Abandonem os headlines (ou slogans) em tom de cliché, do tipo: um novo rumo, uma nova ambição, unir qualquer coisa, juntos coisa e tal, fazer mais, fazer melhor, uma equipa que qualquer coisa e outras coisas assim do género.

2) Aconselhem-se com profissionais de design e direcção de arte capazes de darem uma imagem interessante e com bom gosto (e não, não é discutível) à vossa campanha.

 

Mas, caros putativos autarcas, não poderia dizer tão mal sem no final vos deixar algum alento. Por isso, aqui ficam algumas boas campanhas que já se fizeram na política em Portugal. É favor inspirarem-se.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:12


Amadora

análise de Rodrigo Saraiva, em 19.10.09

Os cartazes da coligação “Amadora tem Futuro” (PSD / CDS-PP / PPM) já aqui foram analisados pelo Nuno. Apresentamos agora a última vaga de cartazes que são um “2 em 1”, para além do apelo ao voto apresentam compromissos. A base do cartaz é a mesma, apenas havendo o acrescento da informação temática. Cartazes simples, que não comprometem, mas em que a informação poderia estar melhor conjugada.
 

Outra diferença para o primeiro cartaz é o candidato agora surgir de casaco.
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29


Braga

análise de Nuno Gouveia, em 06.10.09

A corrida autárquica em Braga promete ser animada até ao fim, onde o actual presidente Mesquita Machado luta por manter o cargo, com a forte oposição de Ricardo Rio, da coligação Juntos por Braga. Já aqui tínhamos mostrado os cartazes da primeira vaga. 

 

 

Mesquita Machado apresenta uma campanha de outdoors onde se afirma "sempre presente", slogan também utilizado pelo movimento de Fátima Felgueiras. Este é um cartaz que surge na senda do primeiro, que apresenta o candidato de cabeça cortada, e com o brasão da cidade de Braga, uma escolha que não é feliz graficamente. 

 

 

Este é um bom cartaz, onde o candidato aparece com uma nova fotografia, e bastante melhor que a utilizada nos outros cartazes. A promessa de uma nova energia e uma nova liderança na autarquia bracarense é um bom mote para os indecisos, que irão decidir o resultado destas eleições. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:45


Oeiras

análise de Nuno Gouveia, em 05.10.09

aqui analisamos as campanhas de Oeiras. Deixamos agora os últimos cartazes deste mediático concelho. 

Estes são cartazes que fogem a linha habitual da CDU, e o trabalho final é extremamente positivo. Boa fotografia e bem trabalhado graficamente. 

 

 

Este é um cartaz de apelo ao voto no PS, numa tentativa óbvia de bipolarização destas eleições. Marcos Perestrello promete ser o novo presidente, e procura apresentar-se como a única alternativa a Isaltino Morais. 

 

 

 

Esta é a última vaga de cartazes do PSD. Dois cartazes temáticos, onde o laranja se destaca. Uma tentativa óbvia de afirmar o partido da candidata. O PSD liderou esta câmara durante vários anos, e neste cartaz procura capitalizar esse legado. Uma escolha arriscada. Isabel Meirelles apresenta-se bastante "feliz", o que não é muito vulgar em cartazes autárquicos. Veremos se os eleitores apreciam esta mensagem da candidata da coligação do PSD/CDS/PPM. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:05


Lisboa

análise de Nuno Gouveia, em 03.10.09

Já aqui tínhamos analisado alguns cartazes da campanha de Santana Lopes. Para mim, esta vaga é a melhor até ao momento. Nestes já surgem os logotipos dos partidos da coligação "Lisboa com Sentido". 

 

Gosto particularmente da cor e da vivacidade que os cartazes transmitem, que, juntamente com as palavras de ordem, aproximam o candidato do eleitor. No verde, que serve para reforçar a distinção entre os candidatos, para além das características destacadas, a frase "é disto que Lisboa precisa"
está bem conseguida e dá ligação com o primeiro cartaz do "Lisboa precisa de quem faça". Os azuis têm tom de discurso directo e mais que o slogan é o candidato a falar. A fotografia do candidato segue a moda desta campanha: a cara recortada.

 

Santana Lopes é um político experiente e está a realizar uma campanha eficaz, ao nível dos cartazes. 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:30


Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


subscrever feeds