Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Liderar Istambul, Cidade do México e Tunes

análise de Virginia Coutinho, em 03.09.13

Já por aqui fomos falando da importância da rede social Facebook nestas autárquicas. Os candidatos vêem nesta plataforma, que reúne já cerca de 5 milhões de contas portuguesas, uma excelente oportunidade de estarem em contacto com os seus eleitores e de angariarem mais simpatizantes. Apesar de muitos candidatos terem apostado nesta rede social contam-se pelos dedos aqueles que a estão a usar bem e a tirar o devido proveito da mesma.

 

Enviaram-nos as imagens abaixo e por ser uma situação insólita, a roçar o ridículo, não quisemos deixar de analisar.

 

João Cordeiro é o candidato pelo PS à Câmara Municipal de Cascais e apostou no Facebook. Carlos Carreiras é o candidato do PSD/CDS à mesma autarquia e também apostou nesta rede social (podem ver a análise das imagens das campanhas aqui).

Até aqui nada de inesperado...

 

Quando acedemos a uma página de Facebook existem um conjunto de métricas que são públicas para qualquer utilizador, como a cidade mais popular, isto é, a cidade comum a mais seguidores que estão a falar sobre a página, a interagir com a página (o Facebook considera que um novo seguidor faz parte das "pessoas que falam sobre isto").

A página de Carlos Carreiras, “Viva Cascais” tem como cidade mais popular “Cascais”. Isto é, o candidato concorre à Câmara de Cascais, os seus eleitores são de Cascais e é com eles que quer comunicar, logo faz todo o sentido que os seguidores angariados e as interacções sejam de/com pessoas de Cascais.

 

Viva Cascais

O que é surpreendente é o facto de a cidade mais popular da página da campanha de João Cordeiro, "Liderar Cascais", ser Istambul, na semana de 21 de agosto, Cidade do México, na semana passada, e Tunes, esta semana. Isto é, grande parte dos seguidores desta página estão nessas cidades. (Que cidade irá calhar na rifa na próxima semana?!)

 

liderar cascais
(Imagem retirada na semana de 19 de Agosto)
(imagem retirada na semana de 26 de Agosto)
liderar casacais joão cordeiro
João cordeiro
(imagem retirada hoje, dia 3 de Setembro)

O que poderia justificar esta situação: existirem muitos emigrantes portugueses nestas cidades, o que não é o caso; o candidato ter muitos amigos nestas cidades, o que também não acredito; existir uma página com nome semelhante nos países, levando os seguidores a fazerem gosto e a intergirem na página errada; terem comprado seguidores através de um qualquer website, ou seja, terem angariado seguidores apenas para “inglês ver”. Possivelmente existirão outras hipóteses mas de repente não me recordo de nenhuma.

 

Acho a situação no mínimo insólita e parece-me refletir um mau uso da rede social e uma exagerada valorização da quantidade em detrimento da qualidade.

Cartão vermelho para o candidato!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:13


Nazaré :: PS (e a descoberta da origem das ondas gigantes)

análise de Rodrigo Saraiva, em 03.09.13

Vamos lá directos ao assunto. Este cartaz foi feito para tentar irritar aqui o plantel analista do Imagens de Campanha.

Com tantas ondinhas no cartaz só pode. E são muitas ondas com várias cores e tonalidades. Mas sejamos justos, se há terra que merece ter ondinhas no cartaz é a Nazaré. E não só as ondas são bem adequadas à terra, como não podia haver apelido mais em conformidade do que o de Walter Chicharro. O melhor do cartaz é o lettering escolhido.

Esta foi a única fotografia de cartaz na Nazaré que nos fizeram chegar. Entretanto fui fazer uma pesquisa para ver o enquadramento eleitoral e a Nazaré é um case study de dedicação e entrega à causa pública, especialmente desde 2005.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:06


Figueira de Castelo Rodrigo :: PSD e PS

análise de Rodrigo Saraiva, em 02.09.13

Hoje viajo até ao distrito da Guarda para analisar as campanhas de uma terra com um belíssimo nome. Figueira de Castelo Rodrigo nos seus 10 mandatos autárquicos já foi presidida uma vez pelo CDS, logo nas primeiras eleições em 1976, duas vezes pelo PS (1989 e 1993) e as restantes pelo PSD, sendo que desde 1997 o partido laranja tem liderado este concelho. Pelo que pesquisei nunca houve um presidente que chegasse a exercer um terceiro mandato e é isso que o actual presidente, António Edmundo, pretende contrariar.

E adivinhem lá qual o detalhe que me faz torcer o nariz a este cartaz … lá está, mas qual a necessidade daquelas ondinhas no canto superior esquerdo? Não havia necessidade. O cartaz até está bem conseguido. Boa foto do candidato, com sorriso empático, tal como o slogan que afirma a dedicação do actual presidente e candidato. O brilho no fundo quase que está no limiar de dificultar a leitura do slogan, o que não acontece nos cartazes mais pequenos.

Dispensava também o logótipo “autárquicas 2013” do PSD. Não gosto deste logótipo e neste cartaz não fica mesmo em sintonia.

 

O PS aposta em Paulo Langrouva. Vou tentar abstrair-me da má colocação deste cartaz, mas que é um pormenor que as candidaturas devem ter cuidado, como aqui já referi algumas vezes. Um cartaz mal colocado dificulta a passagem da mensagem pretendida e por vezes pode dar uma ideia de desleixo e ninguém quer ter um presidente de Câmara que negligencie as suas tarefas.

Posso estar a ser influenciado pela luz no cartaz e este não estar esticado, mas para que este cartaz resultasse bem em termos visuais e impactar os eleitores deviam ter optado por um verde mais forte, o que daria mais força ao slogan. Sobre este … já aqui muitas vezes dissemos que os slogans eram banais, que raramente se via um rasgo de criatividade ou originalidade. Neste caso, francamente, o candidato é fã de Obama? “Change We can Believe In” é um grande slogan. Ok, traduz lá isso e está feito. Relativamente ao logótipo de candidatura, quando o criaram não pensaram nos cartazes que viriam a fazer, certo? É que se o símbolo do PS ali fica naturalmente enquadrado, este símbolo, com aquele azulinho e o amarelo , não está no seu habitat natural.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:58


Seixal :: PS

análise de Telmo Carrapa, em 02.09.13

Um cartaz muito feliz

Nas últimas autárquicas, como desde 1979, o PCP (ok… a CDU…) venceu as eleições para a Câmara Municipal do Seixal com 47,83% dos votos. O PS, liderado pelo actual candidato, foi a segunda força política mais votada, com 22,86% dos votos.

Só que, por limitação de mandatos, o actual Presidente da Câmara não se poderá recandidatar, avançando o número dois do executivo. Esta poderá ser uma oportunidade para o PS capitalizar uma votação superior que obtém aquando de eleições legislativas (eu sei que a dinâmica não é a mesma, mas esta mudança de candidato poderá proporcionar uma dinâmica diferente).

E é com este cenário que Samuel Cruz se apresenta a eleições. Vereador da Câmara Municipal do Seixal desde 2005 foi responsável no seu primeiro mandato pelo Pelouro da Intervenção Veterinária e Defesa do Consumidor.

Em consequência das eleições de 2009 recusou aceitar o pelouro que lhe foi proposto, afirmando “Estou na política para servir, não para me servir. Seria impensável aceitar um pelouro em que o salário que me é atribuído é superior ao orçamento que me caberia gerir. Com esta decisão perde o meu orçamento familiar mas ganha o orçamento municipal que não paga o meu salário, o do meu adjunto e o da minha secretária, acrescendo ainda que devolvo a viatura que me está atribuída.” (informação retirada do site da candidatura).

O cartaz que recebemos está muito feliz. E não é ironia com o ar feliz quer do candidato, quer do seu filho ao colo. É que esta foto transmite empatia. E, ao contrário de muitos arautos da moral e ética alheia, não me choca nada o candidato ter optado por ser fotografado com o filho ao colo. Antes pelo contrário. Quando o slogan é “Seixal com futuro” (coadjuvado pelo “As pessoas estão primeiro”) faz todo o sentido mostrar um futuro sorridente, que acredito que seja o que Samuel Cruz deseja para o concelho.

O cenário da baia do Seixal serve de pano de fundo perfeito para este cartaz, pois para além de ser facilmente identificável, é um ponto de referência para os seixalenses. E o tom verde, de esperança, reforça o sentido dado a todo o cartaz.

Quanto ao slogan “Seixal com futuro”, para mim, por norma, é daqueles que dizem muito e nada ao mesmo tempo. Mas neste caso faz sentido. Porque o cartaz o suporta, porque mostra coerência com o que o mesmo candidato apresentou nas últimas autárquicas e porque faz ligação ao mote nacional do Partido Socialista.

Como dizia acima, é um cartaz feliz. E felicidade faz falta nestes tempos mais complicados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00


Montijo :: PS e PSD

análise de Rodrigo Saraiva, em 02.09.13

Montijo, como boa terra do distrito de Setúbal sempre votou à esquerda, alternando as suas escolhas entre PS e PCP (ora como APU, ora como CDU). Em 1997, ainda antes da inauguração da Ponte Vasco da Gama, o PS vence com Maria Amélia Antunes que presidente à autarquia até hoje, sempre em maioria, mas que não sairá totalmente do palco autárquico montijense, pois será cabeça de lista à Assembleia Municipal, passando testemunho ao seu vereador Nuno Canta que assume assim a candidatura à Câmara.

Desde 1997, com a CDU ainda a ficar em segundo lugar, os resultados têm estado em mutação. Em 2005 o PSD assume o segundo lugar e repete-o em 2009, ano em que vai coligado com o CDS. Estes resultados não estarão certamente dissociados da evolução que o Montijo teve, com muitas pessoas a escolherem este concelho para residir devido às acessibilidades a Lisboa. Muitos só nestas eleições votarão pela primeira vez no Montijo.

É com este cenário, novos eleitores e com a actual presidente de saída, que os partidos jogam as suas cartas. PS, PSD, CDU, CDS, BE e PCTP/MRPP apresentam candidaturas. O PSD depois de duas eleições com a mesma candidata faz uma nova aposta, igualmente no feminino, apresentando Maria Mercês Borges, actual deputada e ex Governadora Civil de Setúbal.

Mas indo aos cartazes, comecemos pelo front runner, o PS.

O PS só não apresenta um bom cartaz pela errada opção de lettering no slogan, mau gosto (ok, sei que é discutível) na roupa do candidato e fraca referência à terra. Montijo apenas surge no endereço do site, que é o do partido. Assim fica-se por um cartaz que não compromete. E é pena, pois a foto está bem conseguida, quer na qualidade, na postura e colocação no cartaz. O verde escolhido para todo o fundo resulta muito bem e é o que dá força ao cartaz. O slogan é um trivial “Esperança no Futuro” que joga bem com o verde. É pena, a foto e o verde, tinha tudo para dar um excelente cartaz. O Nuno até Canta, mas não me encanta.

O PSD apresenta um cartaz bem conseguido, alegre e vivo, tudo pela original opção de fundo com formas geométricas e diversas cores, sendo que a introdução do azul remete mais para o Brasil do que para o verde e amarelo da bandeira do Montijo. O slogan embora também trivial puxa pela terra, “Juntos pelo Montijo!”, e a opção do lettering e do círculo onde surge o slogan são inteligentes.

Se me explicassem o que se pretendia fazer em ambos cartazes, diria que o do PS tinha tudo para resultar bem e o do PSD tudo para dar errado. O resultado foi aquele cuja visão partilhei.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:25



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


subscrever feeds