Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Estarreja :: PS

análise de João Gomes de Almeida, em 29.07.13

 

O Fernando Mendonça, candidato do PS em Estarreja, tinha há quatro anos aquela que para mim foi a melhor campanha autárquica daquela fornada. Na época impressionou por vários motivos: trouxe a felicidade para o léxico da comunicação política (o que foi ousado e muito bom), fez outdoors com fundo fotográfico preto onde aparecia a abraçar os filhos (o melhor 8x3 político de 2009) e criou um jingle bastante profissional (muito na onda do que vários publicitários brasileiros criaram para políticos, lembram-se do magnífico "Lula lá" criado pelo mestre Celso Loducca?). Já o disse anteriormente, mas a campanha de Fernando Mendonça em 2009 devia ser estudada nos cursos de marketing político. Infelizmente não ganhou.

Este ano, o PS em Estarreja volta a apostar na felicidade e muda a assinatura da campanha de "Futuro Feliz" para "Estarreja Feliz". A postura do candidato nas fotografias é mais madura e existe uma maior aposta em mostrar a equipa. No entanto, o outdoor tem dois erros evitáveis: as fotografias estão mal recortadas e o headline "o teu voto vale" é apenas uma banalidade que não está lá a fazer nada.

Já o autocarro pareceu-me uma ideia inovadora e bem idealizada: o autocarro é a sede de campanha. A sede de campanha vai aos eleitores em vez dos eleitores irem à sede de campanha (bem sacado!). Já headline que está no autocarro é bom, mas um bocadinho longo.

Fica uma dica: continuem a jogar na felicidade e vão por aí, o caminho é bom e tem muito para ser explorado. E já agora um desafio: olhem para a campanha do vosso "camarada" João Ribeiro em Setúbal e tentem fazer ainda melhor. Ofereço-me para pagar um jantar ao que conseguir superar o outro comunicacionalmente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Trofa :: PSD/CDS

análise de João Gomes de Almeida, em 26.07.13

 

 

Hoje fomos até à Trofa, conhecer a campanha da coligação PSD/CDS encabeçada por Sérgio Humberto. O candidato que reúne as esperanças do PSD em recuperar a presidência da autarquia que detinha desde a criação do concelho e perdida em 2009 para o PS.

O primeiro outdoor teve como objectivo lançar o candidato e apresentá-lo à população. Sobre o mesmo, tenho a dizer que gosto da fotografia, embora não goste nada da gravata escura (é um enterro ou quê?! o homem é novo... ok, se for para “envelhecer” o candidato). O headline embora corriqueiro parece-me cumprir o propósito de anunciar a coligação dos dois partidos ("Unidos pela Trofa" é simples, mas passa a mensagem). Do ponto de vista visual não aprecio muito o fundo, mas acho que o headline está bem enquadrado e com leitura, bem como os logótipos dos dois partidos, que desta vez não foram escondidos.

 

 

Já o segundo outdoor, como podemos ver, serve para apresentar a equipa. Neste realço que a fotografia do candidato Sérgio Humberto está bem melhor, embora as da dos seus restantes "colegas" sejam mazinhas (quem escolheu a roupa das senhoras?). No entanto, a ideia de na segunda fase da campanha retirar o foco da comunicação no candidato e falar da equipa, parece-me uma estratégia inteligente. De resto, a coerência da mensagem (headline igual) e do visual (fundo idêntico) mostram profissionalismo na campanha, o que é de salutar nos dias de hoje.

Em resumo, é uma campanha sem grandes falhas e que cumpre os seus propósitos. Fica a dica: um bocadinho de arrojo assentava mesmo bem a um candidato jovem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03


Candidatos e os anúncios no Facebook

análise de Virginia Coutinho, em 25.07.13

O Facebook é uma rede social que tem sido utilizada por muitos candidatos nestas autárquicas de 2013. Entende-se que o facto de 4,8 milhões de portugueses utilizarem a plataforma possa ser um argumento de peso que os leve a apostar neste meio de comunicação.

A aposta mais frequente nesta plataforma prende-se com a criação de uma página, havendo alguns candidatos a apostar nos anúncios (pagos).

 

aqui foi partilhada a análise dos outdoors do candidato pelo PS de Loures, pelo Rodrigo, e fui recuperá-la para agora analisar o anúncio feito pelo candidato no Facebook, que me foi enviado.

 

PS Loures

 

Comentários: a pessoa que recebeu o anúncio não era de Loures e portanto não se encaixava no público-alvo, o que me poderá fazer presumir que a segmentação não foi muito exacta. O anúncio poderia ter mensagens segmentadas em detrimento de uma mensagem genérica, bem como um call to action. Já identificam o partido e concelho no título, pelo que poderiam ter aproveitado o corpo de texto para colocar outras informações.. A imagem é perceptível, facilmente identificamos o candidato e o seu partido. Apesar de poder ser melhorado, não é de todo um mau anúncio.

 

Marco Almeida Sintra

 

Por seu lado, o actual Vice-presidente da CM de Sintra e candidato a presidente, Marco Almeida, também nos presenteou com anúncios no Facebook.

A imagem não é, na minha opinião, a melhor. O que poderia ter o intuito de ser uma atitude descontraída é uma imagem confusa e com ruído, em que não se entende o que está o candidato a fazer com o braço. O anúncio identifica o candidato (independente), a autarquia e apela a que as pessoas o sigam.

 

PS Oeiras

Por fim, trago-vos um exemplo muito particular, o de Marcos Sá, candidato à Câmara Municipal de Oeiras (também já aqui analisado)

O candidato pretende a angariação de “gostos” na página e, para tal, opta por fazer um anúncio sem qualquer referência ao que se trata (apenas nas letras cinzentas em baixo poderíamos presumir que era um anúncio de um candidato às autárquicas). Uma referência ao Benfica?! Qual a relação com o candidato do PS à CM de Oeiras?!? Acho que este é um péssimo exemplo da tentativa de angariação de seguidores ou potenciais votantes através de anúncios de Facebook.

 

Nota: Muito obrigada ao Diogo e à Carina que nos enviaram as imagens.

Caso recebam algum não hesitem em partilhar connosco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49


Anadia(?) :: PS

análise de Telmo Carrapa, em 25.07.13

E a terra, senhor? A terra…

Em 2009 o PSD venceu as eleições em Anadia com 57% dos votos. Mas o actual Presidente da Câmara atingiu o limite de mandatos e, contra a vontade do partido, lançou uma lista independente para Câmara e Assembleia Municipal, onde afirmou que estará presente. O PSD apresenta-se, assim, dividido na tentativa de liderar o município.

Aqui está uma oportunidade para o PS que apresenta Lino Pintado, líder da concelhia do partido e vereador. Até aqui tudo normal.

Mas agora, depois do Rodrigo o ter feito, vou revelar mais um segredo do Imagens de Campanha. A malta troca mails com cartazes de campanhas desse país autárquico, perguntando quem quer analisá-los, ou sugerindo a alguém que se “chegue à frente” e analise determinada campanha.

Foi o caso deste cartaz. Um dos autores enviou um mail “para a geral” mas a perguntar-me se estava interessado em analisar o cartaz em anexo. Eu, armado em solícito, disse que sim. Antes de ver o cartaz. Depois de o ver, devolvi o mail dizendo “eu faço, mas desculpa (sim, tratamo-nos por tu…) a ignorância autárquica, este cartaz é para se candidatar a que município?”.

Eu sei que uma campanha autárquica é para ser feita no município para o qual se concorre. E que, como tal, os munícipes sabem que aquele candidato está na corrida para presidente da Câmara Municipal do concelho. Ou seja, o público-alvo destas campanhas não tem as dúvidas que eu tive.

Mas daí a fazer uma cartaz de candidatura a uma Câmara Municipal sem dizer ao que se vai? Nem uma palavrinha para a terra? É inovador (ou talvez não) mas parece-me excessivamente egocêntrico (nome e cara em GRANDE destaque) e pouco simpático para os munícipes.

Em termos gráficos é um cartaz simples, a branco, onde o destaque se dá ao slogan e à foto. Eu não sou tão contra as “cabeças cortadas” como o Rodrigo. Mas neste caso, tendo em conta o que escrevi acima, parece-me que é uma manifestação do exercício de ego. “As pessoas contam…”? Pelos vistos sim. Umas mais que as outras e, de certeza, mais que o concelho…

Uma pequena nota: De todas os cartazes de 2013 analisados aqui no Imagens de Campanha apenas em três campanhas (contando com esta) não têm referência ao nome da terra. Curiosamente são as três do Partido Socialista. Será uma tendência de comunicação política? (E sim, fui ver todas, antes de escrever isto)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:04


Loulé :: PSD

análise de Rodrigo Saraiva, em 24.07.13

Neste post vamos “viajar“ até Loulé, o maior concelho do Algarve. E confesso que vou gostar de ver o que acontece dia 29 de Setembro, depois de ter feito a pesquisa para este enquadramento. Ora vejamos.

Olhando ao histórico das 10 eleições autárquicas é um concelho onde os eleitores têm decidido pela alternância. Em 1976 ganhou o PS, depois 3 vitórias consecutivas do PSD, em 1989 com apenas uma diferença de cerca de 500 votos o PS volta a ganhar e em 2001, em mais uma eleição renhida, cerca de 800 votos, o PSD volta a liderar a autarquia. Nestes últimos 3 mandatos o presidente foi Seruca Emídio, que aumentou sempre a sua votação, tendo em 2009, campanha aqui analisada, conseguido o resultado mais dilatado (57%). E agora, seguindo a lei de limitação de mandatos, deixará a presidência da autarquia.

Para a sua sucessão o PSD apresenta Hélder Martins, um ex-presidente de junta e ex-vereador, actual Presidente do PSD local, eleito numas quase primárias em que participaram 593 militantes e onde venceu o actual Vice-Presidente da autarquia. Ambos desejavam suceder a Seruca Emídio e foram a votos na estrutura local.

O PS apresenta como candidato Vitor Aleixo, que já foi presidente da Câmara Municipal de Loulé, o último pelo PS, e o candidato derrotado em 2001 por Seruca Emídio. Vitor Aleixo assumiu a presidência da autarquia em substituição de Joaquim Vairinhos, presidente entre 1989 e 1999 e que foi o candidato do PS em 2009, campanha analisada aqui e aqui.

 

Com este enquadramento alguém arrisca prognósticos?

 

Neste post vamos analisar o cartaz que nos fizeram chegar de Hélder Martins, o candidato do PSD. E fica já o anúncio que a Virgínia voltará a falar de Loulé para análise às campanhas do PSD e PS em ambientes digitais, onde existem coisas interessantes.

E eis um cartaz que não quer perder a força de um presidente que está de saída. Se em vários casos vamos assistir a actuais presidentes a candidatarem-se a assembleias municipais, como já vimos o caso de Loures, aqui surge como mandatário, fazendo assim endosso ao candidato. E para que não haja dúvidas de quem é quem, por baixo dos nomes lá está a referência à função de cada um.

Há quem possa considerar este tipo de estratégia um sinal de fraqueza do candidato.

É graficamente um cartaz bem construído, podemos até dizer “arrumadinho”. No topo 3 endereços de internet alinhados (depois a Virgínia falará disto), em baixo os nomes e o símbolo do PSD, também tudo muito alinhado. Nesta parte inferior surgem uns elementos que me causaram mixed feelings (tinha que utilizar nesta análise uma expressão em inglês em homenagem ao comentário deste post de 2009), os “+”. Mas no global acabam por resultar bem. São elementos que trazem para o cartaz a imagem de um dos sites de suporte à candidatura. Trazem, também, suavemente mais cor ao cartaz e até fazem pandan com a camisa do candidato, mas o mais interessante é de transmitirem a soma das duas pessoas presentes no cartaz e que liga com o slogan. “Juntos. Avançamos.”, um slogan simples, mas forte. E com uma boa escolha de lettering. Só não percebo o porquê dos pontos no slogan?! E confesso que só reparei neles numa segunda visualização. Mas isto dos pontos já é mania desde 2009. Última referência para as fotografias. Bem conseguidas e com o candidato e o mandatário com um sorriso simpático.

Um cartaz bem conseguido, forte e com elementos em harmonia. Muita informação, mas bem “encaixada”. Para quem passe de carro fica as fotografias e o slogan, o resto é informação para quem vá a pé.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:42



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


subscrever feeds