Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Porto :: independente

análise de Rodrigo Saraiva, em 24.10.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:25


Porto :: PSD :: segunda vaga

análise de Virginia Coutinho, em 17.09.13

aqui analisámos a primeira vaga de cartazes do candidato do PSD à Camara Municipal do Porto.

Um dos cartazes:

No entanto, as ruas do Porto estão já embelezadas com os outdoors da segunda vaga. Aqui fica o exemplo que nos chegou.
Principais diferenças: existe um call-to-action no Outdoor, isto é, é dada uma tarefa a quem o visualiza, "Vota". Os partidos aparecem com alguma evidência (o que não se verificava numa primeira vaga), de forma a orientar os votantes no dia de eleições, remetendo assim para o boletim de voto, o que desculpa a repetição de “Porto Forte” no cartaz.
O candidato nesta foto "é outro"... Tem um ar próximo, descontraído. Tirou a gravata, colocou o relógio e tirou a típica fotografia de "proximidade" que, na minha opinião, resultou bem!
De resto, existe uma coerência visual com os antigos materiais e penso que estes estão mais bem conseguidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:12


sons de campanha :: Porto :: Rui Moreira

análise de Virginia Coutinho, em 06.09.13

Rui Moreira, cujas imagens da campanha já foram aqui e aqui analisadas, é um forte candidato ao melhor hino destas autárquicas!

 

A música original, que fica no ouvido, e o vídeo, onde vemos um candidato próximo e afável, levam nota muito positiva!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27


Originalidade em tempos de autárquicas

análise de Virginia Coutinho, em 27.08.13

Fala-se muito da falta de originalidade e inovação das campanhas políticas, em Portugal, e aqui está um bom exemplo.

 

O que têm estes 3 outdoors, de 3 candidatos de 3 diferentes pontos do país, a concorrem por diferentes partidos (um pelo CDS e dois pelos PSD), em comum?

(Nota: ao clicarem nas imagens poderão ver as análises já aqui realizadas)

 

Muita coisa... Comecemos pela cor escolhida. O azul tem sido uma cor usada com frequência pelos candidatos destas autárquicas.

Segue-se o uso do skyline da cidade. A estes candidatos muitos outros se juntam e atrevo-me a dizer que em 2017 o skyline será mais usado do que as “ondinhas”, que tanto são criticadas neste blog.

Para além disso, optam todos pelo lettering a branco e por colocarem os candidatos no mesmo lado do outdoor com fotografias semelhantes.

 

A conjugação desses elementos leva a que estes outdoors sejam demasiado parecidos e um espelho de como por cá se costuma fazer “mais do mesmo”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Porto::PSD

análise de Virginia Coutinho, em 20.08.13

No Porto não há cor de partido mas pessoas... Desde 1976, o PS venceu 4 vezes as autárquicas, a AD, duas, PSD uma, e a coligação PPD- PSD-CDS/PP duas vezes, desde 2005 até então.

 

Essa coligação era liderada por Rui Rio, que atinge o limite de mandatos e vê assim o seu arqui-inimigo, Luís Filipe Menezes, concorrer à sua Câmara. Talvez chamar-lhe inimigo não seja o correcto, mas é sabido por todos que não nutrem grandes simpatias um pelo outro. Rui Rio afirmou já que não votará no seu colega de partido nestas autárquicas.

 

Luís Filipe Menezes, controversa figura da política portuguesa e ex-presidente da Câmara Municipal de Gaia, será o candidato pelo PSD e será a sua campanha que estará aqui em análise.

 

O Rodrigo Saraiva tinha já, num artigo para o Dinheiro Vivo (aqui), comentado esta campanha. Também as imagens do candidato do PS (aqui), BE (aqui), CDU (aqui) e o independente Rui Moreira (aqui e aqui), foram já analisadas.

 

Passemos à análise...

Um dos “pormenores” que facilmente nos salta à vista é a ausência da referência do partido (logótipo) e o afastamento da cor do PSD, tendo o candidato optado por um azul, associado à costa portuguesa e tranquilidade. O candidato acreditará que vale por si só, pela notoriedade já atingida e opta por não referenciar o partido pelo qual concorre. Nestas autárquicas isto é já uma tendência.

 

O lema da campanha “Porto Forte” tem grande destaque e poderá ser um trocadilho com “Ponto Forte”. O nome do candidato é também destacado e é visível que se pretende fazer valer pela sua pessoa.

A fotografia é adequada e o uso do skyline da cidade (também frequente em peças destas autárquicas) dão vida ao cartaz.

Para além disso, apenas temos a menção do website da campanha. Do ponto de vista gráfico está muito simples e penso que resulta bem.

 

Para além deste outdoor “geral”, a cidade está também adornada com vários outros outdoors desta campanha:

Para além destes 3 outdoors, no website da campanha encontramos um outro:

 

Estes outdoors têm um mood gráfico muito semelhante ao outdoor “geral”, onde figura Luís Filipe Menezes. Existe coerência gráfica e a menção do candidato está presente em todas as peças.

A grande diferença está na humanização destes cartazes, onde são colocados portuenses (ou pelo menos seria o presumível), bem como os seus desejos, aos quais o candidato está disposto a atender “Queremos justiça social”, “Queremos trabalhar e morar no Porto”,... Estes são cartazes que puxam várias temáticas e direccionados para vários públicos-alvo, como refletem as imagens. Estas parecem ser também críticas à actual gestão da Câmara do Porto...

 

Dos outdoors acima mencionados destaco o de “Queremos viver com segurança”, cuja fotografia, que reflete medo, me parece um tanto ou quanto exagerada, como se a senhora vivesse na cidade do México.

 

Para além desse, destaco ainda o último outdoor, “Queremos trabalhar e morar no Porto”.

Após uma rápida pesquisa facilmente percebemos que a imagem deste outdoor foi comprada num banco de imagens. Esta é uma prática frequente e tenho a certeza que grande parte dos leitores acharão normal. No entanto, acho que nesta situação não é adequado e deita por terra a intenção dos cartazes! Então quer humanizar com mensagens e rostos com que os eleitores se identifiquem e vai comprar as imagens onde figura uma família possivelmente americana, com ar caucasiano que nem sabe onde fica o Porto?

Acho triste que nem sequer tenham tirado 4 fotografias a portuenses, optando antes por famílias felizes à venda no Photosearch, com descrição “Caucasian family hugging”...

 

Por mim, vai um cartão amarelo para este tão experiente candidato! Fossem as fotografias feitas propositadamente, mais “naturais”,não indo por bancos de imagem, a senhora com a filha não estivesse tão dramática, esta série de outdoors granjearia boa nota.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:50


Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

e em 2009 foi assim


Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Visitas


subscrever feeds