Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sintra :: PND

análise de Rodrigo Saraiva, em 28.08.13

Para analisar os cartazes  da candidatura de Nuno da Câmara Pereira à Câmara Municipal de Sintra e por se tratar de uma campanha com algo de emocional decidimos convidar uma apaixonada por Sintra e pela comunicação. Esta análise é da responsabilidade de Cátia Domingues. Esperemos que gostem. E que Sintram a diferença.

 

Sintra é o meu berço. Penso que é essa a razão que me faz ser mais sensível às eleições de Sintra do que às de Lisboa. É como se Sintra fosse um bebé perfeitinho e cheiroso, não é qualquer um que chega e pode ficar a tomar conta dele.

Por estar habituado às câmeras, já sabemos que o Nuno da Câmara Pereira tem muita telegenia. Mas agora as suas câmaras são outras.

O Partido da Nova Democracia é o partido patrocinador da sua candidatura à câmara municipal de Sintra.

À primeira vista pode não fazer muito sentido, dado que o candidato, e os membros da lista, não têm qualquer filiação partidária, e toda a gente está careca de saber que ele e o irmão andavam pelo PPM.

No entanto, na sessão de apresentação da sua candidatura, Nuno da Câmara Pereira explica, “não temos estrutura suficiente para a recolha de 4500 assinaturas”.

Ah. Certo.

Nota-se que este outdoor é de uma fase inicial da campanha.

Não desgosto da fotografia de banco de imagem, nem da pose solta do candidato. No entanto, percebe-se que não houve muita preocupação com a montagem dos elementos da imagem, nomeadamente no que diz respeito ao trabalho de luz.

Sint(r)a a diferença com o Nuno

Ok.

O recurso ao trocadilho já é mau, mas pior do que um trocadilho é explicarem esse mesmo trocadilho. Tipo, é para Sintra não é? Então, porque o Nuno quer mudar as coisas, vamos pôr: Sintra a diferença. E o melhor é que se retirarmos o ‘r’ a Sintra, fica o quê? Sinta! Sinta a diferença. BAM! Mas como é uma coisa extremamente inteligente, e por isso difícil de entender, vamos explicar, mesmo no outdoor, o trocadilho, dentro do trocadilho.

Se bem que compensaram este desastre ao fechar só com Nuno. Só Nuno. Aliás, Nuno da Câmara Pereira até é um bocado beto. E o Nuno está em casa. Toda a gente conhece o Nuno. Só Nuno é de amigo.

Gosto desta proximidade que tenta criar.

A partir daqui, o Nuno estraga tudo.

 

Neste sentimos, realmente, a diferença. O Nuno, que já é da Câmara Pereira, mas sem acento, prova aos cidadãos que realmente cumpre o que diz.

Na imagem,  Nuno da Camara Pereira aparece a usar tons clarinhos, veraneios, mas com um ar que não encaixa muito bem na paisagem de final de tarde. Ar de quem foi à praia mas estava muito vento e teve de se vir embora mais cedo.

O ruído visual é tanto que uma pessoa não sabe o que ler primeiro.

O tipo de letra é do mais antiquado e sem personalidade, sem falar nos batentes que já não se usam desde a primeira dinastia.

E, por fim, novamente o magnífico trocadilho “Sintra a diferença!” (Mas já sem a explicação da piada, porque já deu mais que tempo suficiente para as pessoas perceberem). ‘Sintra’ a vermelho, porque o amor é assim, e uma cereja, em forma de ponto de exclamação, para lermos isto aos gritos.

O melhor disto tudo ainda é a estratégia da campanha, que é a de fazer menos promessas para gerar mais confiança das pessoas. O que é super arrojado.

Eu estou ansiosa para ler o programa da candidatura. Suspeito que será uma monofolha.

Finalmente, termina com o logo do PND e um X no canto inferior, caso alguém queira fechar a janela.

 

Esta segunda versão de outdoor segue a mesma linha de coerência (a visual, porque a intenção de ‘menos promessas’ ficou lá atrás):

Fotografia do candidato: Check

Trocadilho: Check.

Ruído visual: Check

O ‘X’ para fechar a janela: Check

E neste cartaz, repleto de batentes, o Nuno da Camara Pereira continua a usar a sinalética matemática para poupar nos caracteres.

Aqui o que muda é a paisagem, passamos para a vista nocturna do maravilhoso Palácio da Pena, porque o Nuno da Camara Pereira é um candidato que também conhece a noite.  Não fosse ele mais conhecido como fadista.

Resumindo, a coisa que faz mais sentido nesta campanha é o facto do Nuno da Câmara Pereira ser assumidamente monárquico e, se há coisa que não falta em Sintra, são Palácios e Castelos.

Caso ganhe, sugiro que assine só com Nuno, o da Câmara.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:12


já andam a falar aqui

De Afonso Barata a 28.08.2013 às 11:41

É impressão minha, ou dois cartazes têm a mesma foto, mas num deles invertida? Assustador...

De Vera Barros a 03.09.2013 às 19:14

Cara Cátia Domingues, no seu post pode ler-se "um bebé perfeitinho e cheiroso, não é qualquer um que chega e pode ficar a tomar conta dele." Só para me certificar: não está a sugerir que bebés não perfeitos e mal-cheirosos merecem menos cuidados, pois não?!

Comentar post



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

e em 2009 foi assim


Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Visitas