Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Barreiro :: PSD

análise de Telmo Carrapa, em 01.08.13

Não fosse o fundo branco…

O Barreiro não é terreno para vitórias eleitorais autárquicas do PSD. Nunca o foi e nas últimas três eleições (cujos resultados oficiais consultei na CNE para esta introdução) o Partido foi sempre a terceira força no Concelho, dominado essencialmente pelo PCP (ok, pela CDU…), com excepção de 2001, quando a lista do Partido Socialista, liderada por Emídio Xavier, conquistou a Câmara com 41,27% dos votos (contra 40,27% da CDU).

O PSD obteve nestas três eleições 10,44% (2001), 11,20% (2005) e 9,01% (2009 – cujas campanhas analisámos aqui e aqui), com a particularidade de ter eleito sempre um Vereador que, pelo que sei, aceitou sempre pelouros. Aliás, em 2005 foi cabeça de lista e Vereador o actual candidato – Bruno Vitorino.

Este ano, apesar de, sejamos sinceros, não ser um ano fácil para candidatos autárquicos do PSD, devido à conjuntura sociopolítica do país, este partido pode tirar partido (passe a redundância) de uma aparente cisão no PS local, como se pode ler aqui e aqui.

Sabendo desta oportunidade, o PSD do Barreiro já colocou a sua campanha de outdoors na rua (não sei se os outros partidos já o fizeram, pelo que se sim, para não ser parcial, agradecia que fizessem chegar ao endereço do Blog imagens das mesmas).

 

 

Como Bruno Vitorino não é um estranho no Concelho, antes pelo contrário, a campanha não precisou da fase de afirmação única e exclusiva do candidato e, a meu ver bem, passou logo para uma segunda fase, a das propostas concretas. E, pelas imagens recebidas, sob a assinatura “Dar Futuro ao Barreiro”, o PSD aposta em mensagens claras.

A imagem, pese não entender a moda Verão Autárquico 2013, de colocar fundos brancos nos cartazes, parece-me razoavelmente bem concebida. Em relação ao fundo branco, parece que as campanhas que aderiram à moda se esqueceram que Portugal é um país solarengo e que uma mancha branca sob a luz do sol pode ferir o olhar, mas isso sou eu que, pelos visto, devo ser fotossensível que acho…

Mesmo assim, o Bruno Vitorino é moreno o suficiente, para além de ter uma camisa que contrasta para se destacar no cartaz. Já vi por aí cartazes brancos que os candidatos se fundem no cenário, dando uma sensação de assombramento – de tal forma que já ouvi dizer que os políticos andam a assombrar, ainda mais, o país…

A foto está boa, mostrando um candidato jovem, informal mas dinâmico (sim, as coisas que uma pessoa consegue ver numa simples foto…) e o equilíbrio entre foto, mensagem e logos (esta é outra moda deste Verão – mais que um logo) é conseguido.

Em relação às mensagens, gosto particularmente da “Derrubar muros ideológicos – Atrair investimento privado para criar emprego”. Mas, na minha opinião, todas as que vi são suficientemente fortes para fazer pensar, o que, numa campanha eleitoral, já é bom. Já a assinatura “Dar futuro ao Barreiro”, que por si só seria mais uma frase feita, no enquadramento das outras mensagens, ganha significado.

Resumindo, não fosse a adesão às duas modas “Verão Autárquico 2013” e acho que estamos perante uma campanha que poderá elevar as aspirações a resultados dignos numa região e Concelho difíceis para o PSD.

 

Nota pessoal: Já li alguns comentários, quer aqui, quer no Facebook, que a análises das campanhas (sobretudo as positivas) “pois é boa mas será que vai dar para ganhar as eleições?”. Não, não dá. Por si só não dá. Mas aqui analisamos as “IMAGENS de Campanha”. Não as campanhas no seu todo. E quem não sabe a diferença entre estas duas realidades, não está a ler o Blog certo… E se os outdoors (peças mais analisadas aqui) não são a garantia de eleição – e não são – não deixam de dar uma imagem da dinâmica de toda a campanha. E essa sim, pode dar resultados melhores ou piores.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:00


já andam a falar aqui

De Hugo Serejo a 02.08.2013 às 11:25

Caríssimo , fiz alguns dos comentários que referiu, sobretudo em relação a amigos pessoais, não no sentido que entendeu, mas sim no sentido da esperança de que uma boa campanha pudesse ser, DE FACTO, uma mais valia para que candidatos como João Ribeiro tivessem sucesso, porque Setúbal também merece, porque o João Ribeiro também merece e porque uma boa campanha também demonstra profissionalismo, bom gosto e capacidade de inovação que são características que qualquer autarca do sec . XXI deveria ter.
Cumprimentos,
Hugo Serejo

De Telmo Carrapa a 02.08.2013 às 14:09

Caro Hugo,
Não foi só o Hugo que levantou essa questão. E é uma questão que já ouvi da boca de alguns políticos em campanha. Acredito também que seja uma dúvida (ou não) para alguns leitores. Daí ter escrito aquela nota. Como profissional da área da comunicação também espero que as boas campanhas (e neste caso os outdoors) sejam reflectidas em boas votações. No caso do João Ribeiro isso seria da mais elementar justiça (eleitoral, entenda-se). Mas há outros. Como no meu primeiro post, em Sobral de Monte Agraço espero que a campanha do Pedro Coelho dos Santos permita excelentes resultados. Mas sei que o Pedro está a fazer muito mais que aqueles outdoors (sigo-o no Facebook) e a dinâmica que o cartaz analisado transmite é reflectida em toda a campanha.
Foi só isso que quis dizer. Os outdoors dão vitórias? Por si só, não acredito. Mas que permitem perceber as abordagens e as dinâmicas de campanha, isso permitem. E essas podem dar mais ou menos votos.
Obrigado,
telmo

De Hugo Serejo a 02.08.2013 às 14:16

Partilhamos da mesma visão, como disse uma boa campanha(do ponto de vista do Marketing Político) deveria ser sempre uma mais valia para os candidatos e para os eleitores!
Cumprimentos,
Hugo Serejo

Comentar post



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

e em 2009 foi assim


Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Visitas