Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Setúbal :: PS :: online

análise de Virginia Coutinho, em 30.07.13

Habitualmente as marcas/empresas (e aqui os candidatos) pecam por não terem presença nas redes sociais, mais por não saberem usá-las do que pela falta de vontade. Existem vários casos de empresas que criam presença em várias redes sociais (muitas vezes demasiadas) mas que não sabem aproveitar as suas potencialidades.  Isto é, criam presença sem que haja uma estratégia com objectivos claros .

 

Quando vi a listagem da redes em que o candidato João Assunção Ribeiro, candidato à Câmara Municipal de Setúbal (análise do Rodrigo aqui), tinha apostado, Twitter, Facebook, Instagram, Flickr, Youtube, Google+, Pinterest,  pensei de imediato que seria mais um desses casos, mas tenho de admitir que até fiquei positivamente surpreendida.

 

Pinterest, Tumblr e Google+

Comecei por analisar o Tumblr, o Pinterest e o Google+ do candidato. Há poucas marcas/empresas em Portugal que estejam a dinamizar correctamente a sua presença nestas redes, e não quis esperar para ver.

No Pinterest o candidato tem boards tão improváveis como o "x-files" onde podemos, entre outras imagens, encontrar propaganda política. Para além desse,  no board “Cool” encontramos pins de imagens interessantes dos mais variados temas; no board “been, seen, done”, imagens de locais que o que o candidato visitou; e no “Inspiring”, imagens inspiradoras. Estes boards, complemento dos boards da campanha e cidade, mostram um lado informal do candidato do qual gostei imenso. Com cerca de 100 seguidores, e não sendo uma rede social onde esperaria ver um candidato português a apostar, vale a pena espreitarem!

No Tumblr, a rede social da Yahoo, do candidato são partilhadas maioritariamente fotografias do candidato “desprevenido”. Sem dúvida que a “fotografia” (e aqui são de alta qualidade) é das mais mais-valias desta campanha, tanto no offline como no online.

No perfil do Google+, apesar de apenas 22 pessoas terem adicionado o candidato aos seus círculos, é também colocado conteúdo com regularidade. Esse conteúdo abarca desde entrevistas ao candidato a frases inspiradoras de Nelson Mandela. É importante referir que muitas vezes a aposta nesta rede social é a pensar na optimização da presença da marca no online (SEO).

 

Em suma, os conteúdos são de qualidade e prestam atenção a pormenores como inserção de tags. Embora tenha gostado da abordagem do candidato, estas seriam redes sociais nas quais provavelmente não apostaria, atendendo à sua pouca (e particular) utilização no nosso país. Esta pode ser uma das razões que explique a quase inexistente interacção com os conteúdos.

 

Para além das duas redes sociais mencionadas acima, o candidato tem ainda presença no Twitter, Instagram, Facebook, Youtube e Flickr!

 

 

Instagram e Flickr

Tal como o Pinterest e Tumblr, também o Instagram e o Flickr vivem de conteúdos visuais, imagens.

O perfil do candidato no Instagram é privado. Sendo uma das redes oficiais da campanha (mencionada no website) não deveria acontecer. Enviei o pedido para o seguir há 3 dias e o mesmo, à data desta publicação, ainda não tinha sido aprovado.

O seu Flickr serve essencialmente como repositório de imagens, neste caso 88 fotografias do candidato e da campanha. Não existe interacção e praticamente não há visualizações das fotografias.

 

Twitter e Youtube

O candidato já usava esta conta Twitter antes da campanha e tem publicado com frequência para os seus mais de 2000 seguidores. Grande parte do conteúdo publicado é replicado do Facebook. Pontualmente faz retweets e responde a tweets, onde mostra um lado informal do candidato em menções de siglas como “LOL”, indicações de gargalhadas e discurso informal.

Com 24 subscritores, mas mais de 4200 visualizações, o canal do Youtube é também utilizado nesta campanha e têm sido colocados vídeos com regularidade. Os vídeos, entrevistas e discursos são adequados mas poderiam ter uma descrição e tags associados.

 

Facebook

Sendo o Facebook a rede social mais importante do nosso país, estava com grandes expectativas da página do candidato. 

A página está dinamizada e o conteúdo é colocado diariamente (mais de uma publicação por dia, incluindo fins-de-semana). Os mais de 8000 seguidores  são presenteados essencialmente com conteúdo da campanha. Mais uma vez destaco a qualidade das fotografias, principalmente da acção “Setúbal decide”.

Existem respostas  a comentários, embora o administrador o pudesse fazer com maior frequência e criar mais diálogos. A página também poderia ser enriquecida com aplicações que acrescentassem valor à experiência do utilizador/ fornecesse mais informações, como apresentação dos candidatos e medidas.

 

De uma forma geral a presença nas várias redes sociais é boa mas existe espaço para melhorias.

Algumas sugestões: uniformização da presença nas várias plataformas (imagem de perfil/página, imagem de capa, utilização do mesmo nome e nome de utilizador); aposta não apenas em partilhar (bom) conteúdo mas promover interacção com os seguidores + dar respostas atempadas (principalmente no Facebook). Penso que também seria importante analisar se faz sentido o candidato estar em todas as redes sociais, de acordo com os objectivos da campanha e características de cada uma delas, ou se não está a dispersar a atenção.

 

 

Website

O design é clean e apelativo, e o website, de uma única página, reúne as informações mais importantes: informações sobre os candidatos, referência à presença noutras plataformas, formulário de contacto. Incluiria no website um blog, de forma a manter qualquer visitante actualizado com informações da campanha. Com a aposta em tantos social media e com uma campanha onde se produz regularmente conteúdo, substituiria  a presença nalgumas das redes por um blog.

Do ponto de vista de SEO poderia ser melhorado, mas de uma forma geral o website serve os propósitos.

 

Dos candidatos destas autárquicas com os quais me cruzei nas redes sociais, atrevo-me a dizer que este, o João Ribeiro, é talvez o que tenha uma melhor presença, no geral. No entanto, espero ainda ser surpreendida e encontrar ainda exemplos melhores. :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30


já andam a falar aqui

De Phil a 30.07.2013 às 18:46

Há ainda uma outra questão, que tem que ser colocada:

O que acontece a esses perfis, após as eleições?

Regra geral, são abandonados e esta prática, tornando-se recorrente, por muito apelativa que seja a comunicação, não gera "engagement" nos utilizadores. Se sei que não haverá follow ups dos perfis, porque raio devo eu acompanhar os candidatos.

Pessoalmente, parece-me que será mais um caso desses.

O exemplo mais evidente, é de Pedro Passos Coelho. É verdade, que ele voltou a comunicar, especialmente via Facebook...mas incorrectamente e com impacto negativo para a sua imagem, criando o alter-ego, "Pedro". De um momento para o outro, ficámos com o "Passos Coelho", mais institucional e com o "Pedro", através do Facebook, onde ele aproveitava para pedir desculpa e pegar na figura, do candidato, que tinha ficado para trás, nas eleições.

Claramente, uma estratégia falhada.

De Virginia Coutinho a 01.08.2013 às 15:39


Olá Phil,

Antes de mais agradeço o pertinente comentário. Na maior parte das vezes a utilização das redes sociais é encarado como mais um meio de comunicação como, por exemplo, um outdoor que, após eleições são retirados da rua.
E como o exemplo que dá, de Passos Coelho, temos muitos outros... Por exemplo, gostei imenso da postura de Portas nas redes sociais e muito lamento que agora estejam abandonadas...

Quanto a este candidato, muitos dos perfis foram criados em maio deste ano, mas existem outros, como o Twitter, que já eram utilizados pelo candidato... A ver vamos o que acontecerá:)

De Hugo Serejo a 31.07.2013 às 12:46

A inovação é uma constante desta campanha, gosto do tratamento que está a dar ás novas plataformas comunicacionais, claro que ainda não perfeita, e eventualmente excessiva ao ponto de dispersar a atenção mas claramente positiva...volto a dizer o que disse no post do Rodrigo, vamos ver a tradução deste trabalho e investimento na urna, da minha parte espero que agrade tanto como a campanha!

De Tânia Mealha a 10.08.2013 às 00:30

Dizendo desde já que esta campanha me parece a melhor, de todas as que já vi, de norte a sul do país, seguindo-se a do Filipe Menezes no Porto, só uma nota quanto ao site. Do ponto de vista visual o candidato, que parece muito bem apessoado nos cartazes e topo do site, na parte imediatamente a seguir, onde tem a cabeça a sair daquela bola, tem uma imagem completamente diferente - exclamação aqui de uns amigos - "parece o Psy do Gangnam Style". Gargalhadas aqui, mas ok, continua a ser a minha campanha preferida!

Comentar post



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

e em 2009 foi assim


Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Visitas