Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ao que venho

análise de João Gomes de Almeida, em 14.05.13

É bom estar de volta quatro anos depois, perceber que ainda existem campanhas políticas e que a democracia ainda mexe, ainda que cada vez mais diminuída aos olhos da população. Mas qual população? O povo! Povo que de quatro em quatro anos vê os seus concelhos e freguesias invadidos por outdoors, flyers, mupis, canetas e carros de som dos mais variados partidos e muitas vezes excêntricos movimentos de cidadãos independentes. 

O Imagens de Campanha aparece no meio desta confusão, com o objectivo de mostrar, entreter e escrutinar a propaganda que se publicita nestes dias. Lançando um olhar atento sobre o que de melhor se vai fazendo por aí e também sobre o que de pior nos é dado a conhecer.

Bem... Os meu colegas de blog são dois reputados especialistas de comunicação, que provavelmente e naturalmente vão incidir sua análise na estratégia e na mensagem das candidaturas. Eu, como publicitário, vou ter que ceder ao defeito de profissão e centrar-me mais na chamada dramatização da mensagem, ou se preferirmos na imagem em si própria. Tendo sempre duas abordagens de cada peça: o grafismo (a chamada direcção de arte) e o texto (o dito copy). 

Eleitores, tenho pois que vos dar um conselho honesto: um candidato que aprova uma imagem de campanha foleira ou com pouco cuidado estético é por norma um tipo com mau gosto, que se tornará um autarca com mau gosto e que acabará por poluir visualmente as vossas cidades com mamarrachos arquitectónicos, parolices ditas culturais e iniciativas duvidosas, sem interesse e que ficam a dever muito à criatividade.

 

Senhores candidatos, agora falo para vocês. Se não querem passar esta ideia lanço-vos dois desafios:

 

1) Abandonem os headlines (ou slogans) em tom de cliché, do tipo: um novo rumo, uma nova ambição, unir qualquer coisa, juntos coisa e tal, fazer mais, fazer melhor, uma equipa que qualquer coisa e outras coisas assim do género.

2) Aconselhem-se com profissionais de design e direcção de arte capazes de darem uma imagem interessante e com bom gosto (e não, não é discutível) à vossa campanha.

 

Mas, caros putativos autarcas, não poderia dizer tão mal sem no final vos deixar algum alento. Por isso, aqui ficam algumas boas campanhas que já se fizeram na política em Portugal. É favor inspirarem-se.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:12


Oeiras :: PS

análise de Rodrigo Saraiva, em 13.05.13

Dou inicio às análises das autárquicas 2013 com o concelho onde sou eleitor, Oeiras.

Ou muito me engano e será uma das eleições com mais atenção dos media, tendo em conta o histórico e o facto do PSD apostar num “peso mediático” como candidato.

Mas a análise vai começar pela candidatura do Partido Socialista, aquela que em termos de outdoors (formatos 8x3 e mupi) é para já a que está implementada.

 

O PS apresenta Marcos Sá como candidato. Um homem do PS Oeiras, um chamado candidato do aparelho, tendo sido presidente do PS Oeiras e deputado na legislatura anterior. E um candidato que beneficiará com o maior mediatismo que a campanha de Oeiras tiver.

 

E esta primeira fase de cartazes serve exactamente para dar a conhecer o candidato. No 8x3 um cartaz simples, com fotografia e nome do candidato em destaque, acompanhado de um slogan e o símbolo do PS.

 

 

Em termos gráficos é um cartaz bem conseguido, com um lettering (no nome) pouco usual em campanhas políticas, embora em Oeiras no passado tenham existido opções similares. A opção por um vermelho forte é acertada, quer por ser uma tom quente e positivo, mas por assumir claramente a força política, demonstrando que o candidato sabe que tem que unir a sua base eleitoral. E com o “unir” passo para a análise do slogan: “Unir Oeiras!”. Uma escolha muito interessante, um bom slogan. A estratégia é dizer aos eleitores que chega de uma Oeiras dividida entre IOMAF (o movimento de Isaltino Morais) e PSD. Mas o candidato do PS deve ter preparado uma argumentário para quando for recordado que o PS num passado não muito distante assumiu pelouros.

 

No que diz respeito ao formato mupi o cartaz segue a mesma linha, mas com uma declinação diferente no slogan: “Oeiras é a minha casa.”. Aqui a opção é reforçar a apresentação do candidato e ao mesmo tempo dar uma ferroada no candidato do PSD, Moita Flores, por não ser um Oeirense. Uma linha de campanha em que será certamente acompanhado pelo candidato do IOMAF e actual Presidente da Câmara, Paulo Vistas.

Neste cartaz o único pormenor que não gosto é a fotografia e a opção de colocar à vista apenas uma mão.

 

Em resumo, uma boa primeira aparição do candidato do PS. A distribuição dos cartazes está bem delineada. E com dois slogans que permitem demonstrar qual será a estratégia que irá seguir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:16


A primeira vez

análise de Carlos Furtado, em 12.05.13

Antes de mais agradecer aos pais do blog terem-me aceite nesta casa. Visita assídua desde 2009 é um prazer ser agora um dos seus anfitriões e espero estar à altura de os receber a todos, os muitos e fiéis leitores que o Rodrigo, o Nuno e o João souberam cativar. Prometo que irei dar o meu melhor e vestir a “camisola”, promessa na linha das melhores práticas dos futebolistas. E continuando a recorrer ao futebol, até porque o Rodrigo abriu as hostilidades, costumo reconhecer os penalties contra o meu clube de coração: o Boavista, embora não me lembre de nenhum que tenha sido justamente assinalado. Isto tudo para dizer que não serei cruel com quem não conheça nem benevolente com amigos e conhecidos. As próximas eleições autárquicas serão bravamente disputadas, não só porque o clima político assim o proporciona, mas também por haver uma regeneração de autarcas como não há memória, fruto da aplicação da lei de limitação de mandatos. O que irá provocar muitos e bons materiais o que nos obrigará a trabalhos redobrados e nos ocupará algum tempo. Mas quem corre por gosto não cansa. Vamos então a eles. Até breve.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:56


desafio 2013

análise de Rodrigo Saraiva, em 12.05.13

O Imagens de Campanha surgiu em 2009 com o objectivo de analisar as imagens das campanhas autárquicas e legislativas desse ano, com foco nas primeiras. Era a forma de materializar um gosto pela política e comunicação. Sabendo que o volume de análises seria grande decidi ir buscar reforços e com rapidez surgiram o Nuno Gouveia e o João Gomes de Almeida que me acompanharam neste projecto e partilharam o gozo em o desenvolver.

 

As expectativas foram ultrapassadas. Os mails que nos chegaram com contributos, alguns verdadeiramente, digamos, singulares e as solicitações que tivemos dos media fizeram-nos perceber que o âmbito do blog era algo bem mais partilhado do que achávamos à partida.

 

Terminadas essas eleições fizemos o que perspectivado. Pararam-se os posts e o blog ficou online, para memória futura. Depois disso, foram colocados posts pontualmente com materiais que complementavam o objectivo do blog ser uma espécie de biblioteca, uma blogoteca de imagens de campanha.

 

Chegados a 2013 eis que teremos novas eleições autárquicas e logo todo um manancial para análise. Foi mais forte do que nós e decidimos reactivar o blog. Com a sempre impecável ajuda da equipa dos blogs.sapo alterámos o template e, embora o Nuno se mantenha ali na barra direita como autor, nesta edição tivemos que fazer uma ligeira alteração ao plantel de analistas. O Nuno não irá participar e reforçámos com outro homem do norte, o Carlos Furtado, meu colega de profissão (esta é a virtude) e boavisteiro (ninguém é perfeito).

 

E com 3 analistas tentaremos manter o nível quantitativo e qualitativo de análise às diversas imagens que conseguirmos apanhar e/ou nos chegarem. Entre municípios e freguesias acreditamos que irão existir muitas imagens.

 

Esperamos que gostem e se divirtam. Nós vamos faze-lo com toda a certeza.

 

Não posso terminar sem deixar o convite para que através das tags na barra direita naveguem por esta blogoteca e revisitem tantas e tantas imagens de campanhas. Autárquicas, legislativas, regionais e presidenciais. De 2009 e não só. Nacionais e algumas internacionais.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:48

Pág. 2/2



Imagens de campanha

Compilação e análise de imagens das Campanhas Portuguesas (e não só). Cartazes, folhetos e materiais digitais (e outros). O melhor e o pior. Os verdadeiros e não só.

e em 2009 foi assim


Envio de contributos

imagensdecampanha@sapo.pt






Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Visitas


subscrever feeds